DIGA NÃO A REFORMA PREVIDENCIÁRIA. 

CUT

Notícias

14/01/2014 - Sindicato
Comunicado
17/12/2013 - Sindicato
Comunicado aos Trabalhadores da Cooper

Informamos a todos os trabalhadores da empresa Cooper Standard que a CCT 2013 foi assinada.

A categoria terá aumento de 7% no SALÁRIO.

 

O Sindicato desconsiderou a proposta da empresa referente ao Vale alimentação e não realizará assembléia.

A Diretoria

 

16/12/2013 - Sindicato
CCT 2013/2014

Companheiros, 

A CCT 2013/2104 foi assinada sexta-feira dia 13/12/2013.

Aumento salarial de 7% 

Estabilidade até 15/01/2014

Salário de Ingresso: 822,00

Abono de 514,00 ( empresas que não tem PLR )

Além de mais 90 cláusulas a favor do trabalhador.

 

José Tadeu Paschoal

12/12/2013 - Sindicato
NEGOCIAÇÃO COLETIVA 2013

Informamos a toda a categoria que as negociações em Belo Horizonte avançaram e

que o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos Varginha- Três Pontas - Elói Mendes - Carmo da Cachoeira - SINDMETA,

fechará ACORDO COLETIVO de 7% de aumento de SALÁRIO  para todos os trabalhadores nas empresas que ainda nao

finalizaram a negociação. Assim que a CCT-2013/ 2014 for assinada publicaremos nesse site.

 

Veja abaixo as empresas que já fecharam acordo Individual com aumento de salário em torno de 7% a 10%: 

Metalurgica Varginha

Metalurgica Boa Vista

Gari Jateamento

Sincar

Alfa

Proteco

Camaro

Kop

Exata Combustão

Retífica Líder

Coleção

IMF

 

José Tadeu Paschoal

05/12/2013 - Sindicato
SINDMETA fecha com mais uma empresa

O Sindicato fecha acordo individual com mais uma empresa em Varginha:

 

RETIFICA LÍDER

8% de aumento salarial

Abono(Gratificação) de 500,00

 

03/12/2013 - Sindicato
Negociação Coletiva 2013

Enquanto a FIEMG - "Patrões" enrolam os trabalhadores para conceder o aumento salarial e fechar negociação

coletiva em MG, o Sindmeta de Varginha fecha acordo individual com mais algumas empresas:

 

Metalurgica Varginha

Metalurgica Boa Vista

Gari Jateamento

Sincar

Alfa

Proteco

Camaro

Kop

Exata Combustão

 

Amanhã tem reunião marcada em BH, aguardem noticias que serão publicadas neste site.

28/11/2013 - Sindicato
DEFINIÇÃO DA RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA STEAMMASTER SAI ESTE MÊS

A Assembleia Geral de Credores que definirá a aprovação do Plano de Recuperação Judicial da Steammaster acontecerá no dia 29 deste mês, às 10 horas no Hotel Podium, em Varginha.

 

Steam Master.

 

A Steammaster teve origem em 1974, cresceu e desenvolveu tecnologia própria a ponto de se tornar uma das principais fabricantes de Caldeiras em toda América latina. Ao longo de seus 40 anos de existência, esta empresa chegou a gerar mais de 300 empregos diretos e renda em Varginha e na região do Sul de Minas, fornecendo Caldeiras para todo o Território Nacional e também para outros países, tais como Angola, México, Cuba, Venezuela, África do Sul e Canadá. Em sua carteira de clientes constam empresas de grande porte como Ambev, Petrobrás, Shell, Sadia, Schincariol e Heineken.

A empresa está em plena atividade, embora com quadro de funcionários reduzido (100 funcionários); possui excelente referência técnica no mercado e produz caldeiras mais eficientes, com baixos índices de emissões de poluentes, estando muito à frente dos concorrentes para atender as exigências ambientais, o que constitui atualmente um ponto chave para contratação pelas empresas, que se preocupam cada vez mais com a sustentabilidade.

O compromisso e a seriedade da empresa com as obrigações assumidas ficam evidentes quando se observa que antes de 2008 nunca havia sido proposta qualquer reclamação trabalhista contra empresa, que também nunca havia tido um único título protestado.

A crise econômico-financeira da empresa Steammaster teve início com a crise financeira mundial de 2008 que afetou o mercado de bens duráveis e ocasionou o cancelamento e postergação de pedidos, com grandes prejuízos à Steammaster, que havia investido em estrutura para atender o crescente número de pedidos que vinham sendo feitos até então.  A empresa manteve a estrutura com um custo fixo elevado e isso foi custeado com reservas de caixa e endividamento bancário. Com isso, as vendas foram “travadas” por falta de crédito para projetos e a empresa se viu obrigada a reduzir drasticamente custos e despesas, sendo inclusive obrigada a demitir grande número de funcionários.

Com o agravamento do endividamento interno em 2011, aliado uma nova onda de crise na economia, a situação de Caixa da empresa tornou-se ainda mais delicada e daí em diante começou a perder linhas de crédito, deixou de honrar compromissos e passou a ter restrições cadastrais.

Todo esse quadro financeiro acabou por levar a empresa a formular pedido de Recuperação Judicial, no intuito de solucionar o problema, colocando à disposição dos credores garantias reais em imóveis de valor semelhante aos créditos e que se converteram em dação em pagamento. Esse procedimento não é comum, visto que na maioria dos casos são concedidos deságios de até 90%, além de prazos de pagamentos superiores a 15 anos sem nenhuma garantia extra real. Justamente por isto, o plano de recuperação apresentado obteve grande aceitação dos credores na primeira Assembleia realizada em setembro, contudo, a aprovação não aconteceu devido a algumas divergências levantadas, o que demandou avaliações e ajustes mais tecnicamente estruturadoA empresa acredita que, na medida do possível, construirá com os credores os ajustes necessários, por isto mesmo está confiante na aprovação do plano que é primordial para preservação do valor econômico e social da empresa, a manutenção da fonte pagadora de impostos, geradora de empregos, tecnologia e negócios.

 

 

19/11/2013 - Sindicato
Sindicato fecha acordo com mais três empresas de Varginha

O Sindmeta fechou nesta data mais 3 acordos.

As empresas :

Metalúrgica Varginha,

Kop Industria e Com. de Produtos Eletrônicos Ltda

e Sincar Funilaria, após várias reuniões  com a entidade concederão aos seus colaboradores um aumento em torno de 8% a 10%, 

além dos abonos e estabilidade.

 

 

13/11/2013 - Sindicato
O Sindicato dos Metalúrgicos de Varginha – SINDMETA, protesta !
Setam Master
 
 
10/11/2013 - Sindicato
EM ESTADO DE GREVE, METALÚRGICOS VÃO FORTALECER A MOBILIZAÇÃO.
Acordo não sai em audiência na STRE-MG e nova reunião no Ministério do Trabalho está marcada para o dia 28/11/2013.

Com a categoria em estado de greve desde o dia 31 de outubro e realizando mobilizações, manifestações e paralisações de alerta desde então, dirigentes da FEM-CUT, da CNM-CUT, da Femetal, do Sindicato dos Metalúrgicos de BH, Contagem e Região e do Sindicato de Betim se reuniram nesta quinta-feira (7), com representantes da Fiemg em audiência de conciliação na Superintendência Regional de Trabalho e Emprego (SRTE-MG). No encontro, mediado pela auditora-fiscal do Trabalho Alessandra Parreira, foram programadas nova reunião de negociação entre as duas partes dia 19 de novembro, na Fiemg, e outra audiência de conciliação no dia 28 de novembro, novamente na SRTE-MG, ambas às 10 horas.

Participaram da audiência de conciliação o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e Região, Geraldo Valgas; Marco Antônio de Jesus, diretor do Sindicato e ex-presidente da CUT/MG; o presidente da FEM-CUT, José Wagner de Moraes; e advogada Maíra Gomes.

Os metalúrgicos, em campanha salarial conjunta no Estado, continuam mobilizados e a comissão de negociação vai se reunir na próxima semana para organizar novas manifestações, atos e paralisações para pressionar os empresários a atender a pauta de reivindicações. Nesta quinta-feira (7), os trabalhadores da Aethra, ex-Usiminas, em Pouso Alegre, paralisaram as atividades, mas continuaram dentro da empresa. Na terça-feira, mobilização na Stola do Brasil, no Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, parou a produção por duas horas e fechou a marginal da via.

A negociação da campanha salarial dos metalúrgicos de Minas Gerais chegou a um impasse pois, os patrões do setor, além de terem apresentado até agora uma única proposta de reajuste salarial de 5,9%, que está muito distante da reivindicação dos trabalhadores, ainda querem impor a implementação do banco de horas na categoria, como condição para melhorar a proposta.

Os metalúrgicos não aceitam essa chantagem. Em assembleia realizada na sede do Sindicato de BH/Contagem na semana passada, os metalúrgicos rejeitaram por ampla maioria o banco de horas e aprovaram o estado de greve.

Mais de 250 mil metalúrgicos em todo o Estado estão há mais de três meses à espera de uma proposta decente que reflita o crescimento das empresas do setor e que valorize os trabalhadores. Categorias como bancários, trabalhadores dos Correios, metalúrgicos da Bahia e São Paulo, entre outros conquistaram entre 8% a 10% de reajuste salarial.

Autor: Rogério Hilário